sábado, 11 de novembro de 2017

Livre arbítrio




Deus criou coisas dotadas de livre-arbítrio: criaturas que podem fazer tanto o bem quanto o mal. Alguns pensam que podem conceber uma criatura que, mesmo desfrutando da liberdade, não tivesse possibilidade de fazer o mal. Eu não consigo. Se uma coisa é livre para o bem, é livre também para o mal. E o que tornou possível a existência do mal foi o livre-arbítrio. Por que, então, Deus o concedeu? Porque o livre-arbítrio, apesar de possibilitar a maldade, é também aquilo que torna possível qualquer tipo de amor, bondade e alegria. Um mundo feito de autômatos - criaturas que funcionassem como máquinas - não valeria a pena ser criado.

C S Lewis



sábado, 4 de novembro de 2017

O mal é uma proteção contra males maiores - VI





Inúmeras vezes o que chamamos de mal é apenas uma sombra do mal, porque somos incapazes de ver o grande alcance da sua influência para o bem. O que parece ser um mal poderá ser um bem, em termos de um mais amplo escopo histórico e o desenvolvimento final dos propósitos de Deus. Nossos julgamentos são limitados pela nossa visão restrita.

Quando o homem passa julgamento sobre Deus e clama amargamente contra o mal do momento (qualquer coisa que incorra no seu desprazer ou que pareça interferir no seu próprio interesse), ele falha em contar com a possibilidade de que o verdadeiro mal na situação é a sua própria presunção ou erro de julgamento.

"Os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos são os meus caminhos, diz o Senhor". (Isaias 55.8)

Sublime Redenção - Milton Azevedo Andrade


 

sábado, 28 de outubro de 2017

Superstição



Cientificismo, a visão de que a ciência pode explicar todas as condições e expressões humanas, tanto mentais, como físicas, é uma superstição, uma das superstições dominantes de nossa época, e dizer isso não é insulto algum à ciência.


Leon Wieseltier



sábado, 21 de outubro de 2017

O mal como um contraste necessário ao bem - V




A bondade seria irreconhecível se não houvesse o mal. Sem o vício não haveria a virtude, mas somente a inocência. Sem o mal não haveria padrões de moral, nenhuma distinção moral, somente indiferença moral. Não saberíamos nem nos beneficiaríamos do bem se não conhecêssemos o mal. Podemos apreciar o quanto estamos bem somente se reconhecermos que a vida poderia ser pior.

A água torna-se mais do que  água quando sacia uma grande sede. A bondade é apreciada mais profundamente quando é atingida pela resistência às tentações do mal. Em resumo, Deus criou o mal para o benefício de suas criaturas, a fim de que possam discernir, entre o bem e o mal, e aprenderem a se desviar do mal, a fim de gozarem o que é bom.


Sublime Redenção - Milton Azevedo Andrade



sábado, 14 de outubro de 2017

Autorrefutável



A noção de que as únicas crenças racionais são aquelas que podem ser confirmadas pela observação científica, pela experiência e pela medição é mais uma proposta autorrefutável, já que é uma declaração que, ela mesma, não pode ser confirmada por observação científica, experiência e meditação.

Deus não está morto - Rice Broocks




sábado, 7 de outubro de 2017

O mal é explicado pela paternidade de Deus. IV




Deus governa suas criaturas como um pai humano desejaria criar seus filhos. Resguardando-as e isolando-as de todas as possibilidades de dano torná-las-ia incapazes de tomarem decisões e as deixaria ignorantes quanto a causa e efeito. Deus está criando filhos e não seres mecânicos; homens racionais capazes de tomar decisões e não bonecos. O Pai celeste disse: "Eis que ponho diante de ti, neste dia, o bem e o mal. Escolhe bem e vive."

Sublime Redenção - Milton Azevedo Andrade


 

sábado, 30 de setembro de 2017

Preste atenção!!




Embora talvez não compreendamos, os planos e as ações de Deus não se tornam bons de acordo com as consequências. Antes, o que faz com que os planos e as ações de Deus sejam bons é o fato de que ele os desejou.



Introdução a Teologia Sistemática - Millard J. Erickson